Prêmio Cesgranrio consagra Auê

AUE - Sesc Copacabana Janeiro de 2016 Foto: Bruno Braga/Divulgacao

Auê, musical dirigido por Duda Maia (Foto: Bruno Braga)

Musical do grupo Barca dos Corações Partidos, Auê saiu consagrado da quarta edição do Prêmio Cesgranrio de Teatro, que tomou conta do Copacabana Palace na noite da última terça-feira. O outro espetáculo contemplado em mais de uma categoria foi Gritos, da Cia. Dos à Deux. A cerimônia, apresentada por Irene Ravache e Eriberto Leão, teve como homenageada a atriz Nicette Bruno e contou com um marcante discurso de agradecimento do ator Marcos Caruso.

Premiados:

Espetáculo – Auê

Direção – Duda Maia (Auê)

Direção Musical – Alfredo Del-Penho e Beto Lemos (Auê)

Atriz – Debora Bloch (Os Realistas)

Atriz em Teatro Musical – Laira Garin (Gota D’Água (A Seco))

Ator – Marcus Caruso (O Escândalo Philippe Dussaert)

Ator em Teatro Musical – Alexandre Rosa Moreno (A Cuíca do Laurindo)

Autor – Grace Passô (Vaga Carne)

Cenografia – André Curti e Artur Luanda Ribeiro (Gritos)

Figurino – Luiza Fardin (Se eu Fosse Iracema)

Iluminação – Artur Luanda Ribeiro e Hugo Mercier (Gritos)

Categoria Especial – Wolf Maya (pela construção do Teatro Nathalia Timberg)

Anúncios

Prêmio APTR apresenta indicações

aue1Auê concorre em cinco categorias do Prêmio APTR (Foto: Divulgação)

O musical Auê lidera as indicações ao Prêmio APTR, que tem, como elementos diferenciais, a categoria de produção (concedida pelos próprios integrantes da associação) e a separação entre atores protagonistas e coadjuvantes.

Indicados:

Espetáculo – A Paz Perpétua, Auê, Gritos, Nós

Direção – Aderbal Freire-Filho (A Paz Perpétua), Artur Luanda Ribeiro e André Curti (Gritos), Duda Maia (Auê), Márcio Abreu (Nós)

Autor – Cláudia Mauro (A Vida Passou por Aqui), Felipe Vidal (Cabeça — Um Documentário Cênico), Fernando Marques (Se eu Fosse Iracema), Grace Passô (Vaga Carne)

Ator Protagonista – Kiko Mascarenhas (O Camareiro), Marcos Caruso (O Escândalo Philippe Dussaert), Otto Jr. (Amor em Dois Atos), Zécarlos Machado (Gata em Telhado de Zinco Quente)

Atriz Protagonista – Adassa Martins (Se eu Fosse Iracema), Cláudia Mauro (A Vida Passou por Aqui), Debora Bloch (Os Realistas), Julia Lund (Amor em Dois Atos), Laila Garin (Gota D’água [A Seco]), Suzana Faini (O Como e o Porquê)

Ator Coadjuvante – Ary França (Galileu Galilei), Gustavo Damasceno (Os Cadernos de Kindzu), Pedroca Monteiro (Sucesso), Stéphane Brodt (Os Cadernos de Kindzu)

Atriz Coadjuvante – Clara Carvalho (Anti-Nelson Rodrigues), Juliana Guimarães (Sucesso), Luciana Lopes (Os Cadernos de Kindzu), Lydia Del Picchia (Nós)

Cenografia – André Cortez (O Camareiro), Daniela Thomas e Camila Schmidt (Os Realistas), Fernando Mello da Costa e Estúdio Radiográfico (Céus), José Dias (Dorotéia), Márcio Medina (Galileu Galilei)

Figurino – Beth Filipecki e Renato Machado (O Camareiro), Carol Lobato (Cinderela), Kika Lopes (Auê), Luiza Fardin (Se eu Fosse Iracema), Lulu Areal (Dorotéia)

Iluminação – Jorge Farjalla, Patrícia Ferraz e José Dias (Dorotéia), Artur Luanda Ribeiro e Hugo Mercier (Gritos), Maneco Quinderé (O Como e o Porquê), Beto Bruel (Os Realistas)

Música – Alfredo Del-Penho e Beto Lemos (Auê), Luciano Moreira e Felipe Vidal (Cabeça — Um Documentário Cênico), Beto Lemos, Fernando Mota e Marcelo H (Gritos), Nando Duarte (Gilberto Gil, Aquele Abraço — O Musical), Stéphane Brodt (Os Cadernos de Kindzu)

Categoria especial – Wolf Maia (pela construção do Teatro Nathalia Timberg), Eduardo Rieche (pelo lançamento do livro Yara Amaral, a Operária do Teatro), Flávio Marinho (pelo lançamento do livro Teatro é o Melhor Programa), Cesar Augusto (pela multiplicidade de suas ações artísticas), Projeto Rio Diversidade

Produção – Auê, Gota D´água [A Seco], O escândalo Philippe Dussaert, Os Realistas